Publicidade

Publicidade

22/04/2009 - 11:23

Readernaut ajuda a compartilhar suas leituras on-line

Compartilhe: Twitter

Houve um tempo em que a leitura parecia ser uma atividade solitária. Mas, na verdade, sempre lemos acompanhados de inúmeros condicionamentos sociais: linguagem, convicções políticas, ideológicas e religiosas etc. Ler sempre foi dialogar com inúmeros “universos paralelos”.

Mas aí está a internet pós-web 2.0, que reflete uma certa carência de fazer amigos e influenciar as pessoas (às vezes, evocando aqueles filmes colegiais norte-americanos que passam na TV). Obviamente, teria de surgir uma ferramenta para compartilhar suas leituras on-line. Chama-se .

O aplicativo traz recursos como uma timeline, na qual você pode mostrar o quanto do livro que já leu, espaços para colecionar e classificar citações, listas para debater títulos, entre outras coisas.

Pode parecer algo um tanto egocêntrico – especialmente no Brasil, país no qual tão pouca gente lê livros, que aqueles que o fazem às vezes se acham o próprio Mefisto. Mas sejamos otimistas. O programa pode funcionar como uma espécie de ficha de leitura na web, o que seria bem útil para estudantes de um mesmo curso.

E, claro, também facilita a vida dos folgados que não querem ler as obras indicadas pelos professores.

De qualquer forma, vale .

Autor: - Categoria(s): ferramentas Tags:
16/04/2009 - 16:36

Podemos confiar em livros de negócios?

Compartilhe: Twitter

E o que isso tem a ver com livros de negócios? Os seus influentes autores assumem que as companhias que eles consideram ‘bem sucedidas’ (muitas das quais nem existem mais) são fundamentalmente melhores do que as pior sucedidas. Assim, gastam muita tinta tentando explicar os ingredientes do sucesso corporativo via engenharia reversa (…). Mas e se esses ingredientes forem contextuais? E se sucesso depender de sorte e bom timing? (…) De um ponto de vista amplo, é claro, os humanos têm dificuldade de perceber a (oni)presença da contingência e das oportunidades. Gostamos de explicações que façam cortes nas situações e não sejam sujeitas à aleatoriedade. (…) Sempre adorei essa frase concisa de Richard Rorty: ‘Liberdade é o reconhecimento da incerteza’.”

Desta vez, não sou eu que estou falando que as fórmulas são limitadas. , baseado num artigo de (Boston Globe), em pesquisas na área da psicologia e no conceito de . Ainda que o texto do blog seja um tanto genérico demais, traz algumas boas ideias sobre porque alguns livros de negócios são problemáticos.

Eu prefiro os de História. E, ainda assim, com restrições. Mas também sei que atacar auto-ajuda é chutar cachorro morto – exercício para quem quer se passar por inteligente e profundo. Então, vamos com calma, certo?

Autor: - Categoria(s): frases Tags:
Voltar ao topo