Publicidade

Publicidade

Arquivo da Categoria segurança

31/03/2009 - 11:37

Conficker. Prepare-se para o dia do ataque do vírus

Compartilhe: Twitter

Atenção, usuários de Windows. Amanhã é o dia do ataque do famigerado . Trata-se de um worm que já foi promovido por Barack Obama como (contextualmente) mais perigoso do que Bin Laden. A Microsoft ofereceu U$ 250 mil para quem der informações que levem ao criador do vírus.

Há estimativas de que de 9 a 15 milhões de computadores no mundo todo já estejam infectados. E as consequências do ataque são variadas, já que o vírus é polimorfo. Ou seja: pode desde usar os recursos do seu computador via web para mandar spams até roubar senhas.

Mas, calma, não saia formatando seu computador ou coloque uma arma na cabeça do rapaz do suporte técnico. Já existem alguns antivírus que supostamente podem evitar infecções. Siga os links de download abaixo.

Se você está numa empresa, fale com o administrador da sua rede antes.








(em inglês)

Os usuários do só precisam deixar que o programa se atualize automaticamente. Em boa parte dos computadores, inclusive, isso já deve ter sido feito.

Migre e resolva de vez




(entre outras distribuições Linux)

PS – Apesar do vírus atacar no dia 1º de Abril, parece que a coisa é séria. E, mesmo que o vírus não faça nada além de enviar uma mensagem de “April Fools”, é bom se prevenir.

PS2 – Ao visitar a página do vírus na Wikipedia, cuidado com as sugestões de antivírus. Há suspeitas de que a página tenha informações incorretas nessa área.

Via e Eduardo Pinheiro (Pessoalmente. O blog dele – sobre cinema – é este).

Autor: - Categoria(s): segurança, tecnologia Tags:
23/10/2008 - 10:48

Afinal, você precisa de redes sociais?

Compartilhe: Twitter

Como você faz para ter tantas redes sociais?
Twitter, facebook, o blog, emails…
Preciso encontrar uma disciplina urgente, algumas regras…

–Pergunta do leitor Herik Mourão.

Tenha foco.A maioria das minhas contas em redes sociais existe por motivos profissionais. Como ganho a vida escrevendo sobre tecnologia, tenho que testar serviços. Geralmente, antes do seu lançamento para o público.

No fundo, acho boa parte deles um verdadeiro desperdício de tempo e energia. E uma “diversão” um pouco perigosa, por deixar dados e perfís espalhados pela web, podendo ser clonados, mal interpretados etc. Mas faz parte.

Sou um dinossauro. Detesto que façam marketing da minha intimidade por aí. É como ser uma micro Britney Spears. Só que sem o dinheiro.

Tento não ser taxativo nas minhas avaliações, porque sempre há quem encontre utilidades e aproveite as redes sociais de maneira criativa. Não é meu papel condenar, mas selecionar, dizer como as coisas funcionam e torcer para que as pessoas façam bons usos das ferramentas.

As redes sociais não estão na minha “lista de prioridades”. Assim, me descadastrei de quase todas as que deixam o “freguês” ir embora. No entanto, nem todas o permitem. O que é uma vergonha – para usar uma expressão Boris Casóica.

É bom ter muita atenção ao usar serviços web 2.0. Eles podem se tornar uma espécie de spam voluntário, .

Pior: podem criar um hábito mental, o de comunicar tudo o que passa pela sua cabeça. Cada resmungo, opinião, medo ou expectativa. Achar que você está sempre no palco, precisando entreter as pessoas ou implorar por atenção.

É preciso ter consciência do seu impacto intelectual no mundo. Isso é uma necessidade urgente para a “ecologia cognitiva”. Se achamos problemático jogar lixo na rua, porque jogamos na web?

Autor: - Categoria(s): comportamento, segurança, tecnologia Tags: , ,
09/10/2008 - 16:37

Clickjacking: mais uma ameaça na web

Compartilhe: Twitter

Depois dos vírus, trojans e phishings, surgiu uma nova maneira de invadir computadores e roubar dados confidenciais. Chama-se clickjacking e explora vulnerabilidades do plugin Flash, da Adobe. Se você não ligou o nome à pessoa, trata-se do sistema que torna possível assistir vídeos no YouTube e assistir a certas animações. Ou seja: o aplicativo está instalado na maior parte dos navegadores da atualidade.

Mas, e então, você tem ou não que se preocupar com isso? Depende. O clickjacking explora a maneira pela qual o Flash controla a webcam e o microfone dos computadores. Para entender melhor o que isso significa na prática, pense no YouTube. Ele usa flash para exibir os vídeos. Mas não controla sua câmera e microfone, diferentemente de serviços como o , e .

Isso significa que você não pode mais fazer comentários em vídeo e nem streaming daquela sua performance de dança do quadrado? Pode sim. Sites como os citados acima são relativamente seguros. Porém, preste atenção em serviços desconhecidos ou não testados pelas comunidades de usuários ou blogs como este Magaiver.

Um invasor pode usar os controles do flash sem que você perceba. E isso não é de agora. O problema não é novo, mas foi divulgado pelo Yahoo News nesta semana, o que deve causar algum pânico entre desavisados. Então, vale a pena e .

E, claro, é altamente recomendado instalar extensões como e no seu Firefox. Se você usa outro navegador menos seguro, mantenha seus movimentos na web friamente calculados.

Autor: - Categoria(s): segurança Tags: , ,
Voltar ao topo