Publicidade

Publicidade
30/09/2008 - 17:27

[Geek] Richard Stallman critica softwares on-line

Compartilhe: Twitter

Richard Stallman
Foto do site www.stallman.org

Quantos documentos e dados importantes você armazena em serviços como Yahoo, Hotmail, Gmail, Zoho, entre outros? Você confia 100% nessas empresas? Richard Stallman afirma que não. O guru máximo do movimento do software livre deu uma desancando a chamada computação em nuvem:

“É estupidez. É pior que estupidez: é uma campanha de marketing deslumbrado. Alguém está dizendo que (a computação em nuvem) é inevitável – e toda vez que você ouve alguém dizendo isso, é muito provável que haja uma estratégia de negócios em processo para tornar a ideia verdadeira”.

E completa:

Uma razão para evitar aplicações web é que você perde controle. É tão ruim quanto usar um programa proprietário. Trabalhe no seu próprio computador, com sua própria cópia de um software que respeite a liberdade. Se você usa um programa proprietário num servidor de outra pessoa, você está indefeso. Está nas mãos de quem quer que tenha desenvolvido o software.

O site , sugerindo que já há um movimento para levar o software livre para a área da computação em nuvem. Por exemplo, em vez de usar o Twitter, você pode optar pelo Identi.ca. Entre tantos outros serviços que já indicamos ao longo de um ano de Magaiver. Sem falar que a maior parte dos aplicativos on-line deixa seus códigos disponíveis para serem usados e alterados pelos usuários (as famosas APIs).

Tendo a concordar tanto com Stallman quanto com o Ars Tecnica. Mas é bom lembrar que, mesmo que usemos software livre, poucos de nós temos a capacidade de criar um serviço de hospedagem próprio.

Ou seja: nossos dados ainda estariam nos servidores da Locaweb, do Media Temple, ou qualquer uma dessas “hospedagens proprietárias”. Pior: boa parte dos principais usuários do Gmail, por exemplo, nem sequer sabe do que estamos falando aqui.

Portanto, acho que a luta de Stallman precisa estar não só no nível da criação de aplicativos livres. Para os não-geeks, ainda precisamos de gente traduzindo, explicando e ensinando como usar coisas muito básicas, como as leis e os direitos do consumidor.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

12 comentários para “[Geek] Richard Stallman critica softwares on-line”

  1. Julio Coimbra disse:

    Concordo com o Stallman, nao estamos seguros em colocar informacoes em empresas com interresses comerciais.

  2. Leandro disse:

    E dai que eles deixam o codigo livre para nós lermos se não temos acesso a codigo que realmente esta rodando no servidor

  3. Eduf disse:

    @Leandro. A idéia é que você possa usar a API para fazer outro aplicativo, usando seu próprio servidor. Como disse, o que vai levar, de modo geral, a uma “hospedagem proprietária”. Ou seja, uma locaweb da vida.

  4. Vítor Guimarães disse:

    A questão abordada culmina no fato de estarmos lidando com pessoas. Existem pessoas e pessoas, cada qual com sua necessidade específica que a tecnologia pode vir a resolver. Em cada estágio uma “melhor forma” de se resolver o problema. A computação em nuvem pode resolver muito bem gastos com soluções desktop desde que seja viável para uma pessoa física ou jurídica, é onde entra uma boa consultoria, ou no mínimo um bom senso para analisar qual a melhor alternativa. Sendo assim, concordo discordando (uma leve heresia) com Stallman .

  5. ASF disse:

    É preciso separar bem as coisas:

    1- Não haveria qualquer problema em manter cópias on-lines de documentos particulares se o provedor oferecesse possibilidade criptografia (sigilo) dos dados e controle total sobre estes (sempre recomendável manter uma cópia off-line);
    2- O fato do provedor utilizar software open source seria um diferencial até certo ponto. Talvez do ponto de vista da qualidade da solução mas não necessariamente no que diz respeito a transparência (auditoria do código), uma vez que muito provavelmente ele não permitiria que você tivesse acesso a este código. Até mesmo para manter o sistema on-line seguro.

    Portanto é preciso diferenciar claramente o que é utopia do factível.

    E tem mais, as vantagens da computação em nuvem superam de longo os riscos envolvidos e o atual paradigma rodar os sistemas em máquinas ou redes individualizadas, desde que, é claro, sejam respeitados fatores como o exposto no item 1 acima.

  6. efeefe disse:

    O Liquuid postou semana passada no twitter as dicas de três sistemas que ele usa no servidor próprio: http://roundcube.net/ , http://www.opengoo.org/ e http://www.taskfreak.com/ . As APIs de aplicativos online não resolvem o problema principal, que é a falta de garantia de que o Google, que é uma empresa nortamericana, não vá eventualmente mostrar meus arquivos para qualquer agência do governo nortamericano (ou até do brasileiro). Ou usar minha “gestualidade” de navegação para cruzar perfis e criar anúncios direcionados exatamente ao que eu supostamente quero comprar. Pra isso, uma conta na locaweb (não!) ou no mediatemple ou dreamhost ou linode ajuda sim.

  7. Fabio disse:

    Iremos fugir dessas empresas???
    Acho que o Richard fez um alarde muito tarde.

  8. Rodrigues disse:

    Stallman vem falando disso desde sempre. Estamos nos fixando demasiado numa suposta confiabilidade e vamos nos tornar dependentes de pessoas que não conhecemos. Pessoas que praticam ao pé da letra o conceito de que “conhecimento é poder”. Há muito tempo que não guardo absolutamente nada nas nuvens…

  9. mário balan disse:

    o Antonio está muito correto:

    1. o grande problema da hospedagem em storages dos outros é a garantia de sigilo dos nossos dados e o segredo da garantia dessa soberania individual na internet parece estar mais nos avanços e na propagação/popularização da criptografia do que em outros campos.

    2. é essencial tratar problemas relacionados a tecnologias sob uma perspectiva que leve o saber técnico em conta. esperar disponibilidade total dos nossos computadores pessoais como hospedeiros de conteúdo não é uma idéia muito brilhante. como exemplo: essa idéia, em termos, contraria o paradigma de client-server. uma boa tentativa de resolver o problema da privacidade e segurança de dados por esse viés provavelmente vai envolver algum trabalho em cima de metodologias de desenvolvimento de sistemas distribuídos. além disso, há maneiras mais elegantes e eficientes de atacar esse problema do que algo que implique sugerir que deixemos nossos seus PCs ligados 24 horas por dia operando como servidores e carreguemos conosco fisicamente todos os dados que possuímos.

    não acho que é tarde demais o Stallman tocar nisso agora. é um problema corrente e, como o Eduf disse, precisa de visibilidade. hosts que escondem deles próprios o que hospedam só vão começar a surgir e dar certo quando o público começar a considerar essa prática um diferencial positivo ao escolher o produto que vai consumir.

  10. Lauro disse:

    O assunto passa por uma abordagem do 8 ou 800, me parece que as verdades que são colocadas são para 100% da população, e não vejo bem assim. Existem casos que ele estará 100% certo e casos que ele falou uma grande bobagem, ou melhor, não muda nada para eles…

  11. filipe disse:

    só veremos grandes movimentos de crakers do mundo inteiro para a tomada desses grandes servidores. Segurança e Microsoft não rimam em nada!!!Uma coisa e deixar e-mails no servidor outra e confiar 100% tudo que tem em seu computador num servidor que esta la na conchinchina.

  12. […] Inicialmente, não vi muita vantagem em usar o Panda Cloud Antivirus. Só tratei do assunto aqui porque o surgimento desse novo termo pode gerar modas e enganar usuários menos experientes. Em especial porque a própria ideia de cloud computing ainda causa polêmica. […]

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo