Publicidade

Publicidade
29/09/2007 - 14:50

Como treinar para ser flexível

Compartilhe: Twitter

Você já deve estar cansado de saber que a flexibilidade é um dos diferenciais mais importantes que um profissional pode ter no mercado. Até mesmo fora do ambiente de trabalho, é a qualidade que pode mais ajudá-lo nos momentos críticos. Aqui no Khadro Ling, centro budista em Três Coroas onde estou há quase uma semana, as equipes de trabalhadores são treinadas sistematicamente para saber se virar em qualquer situação.

Se você tem uma visão bucólica do que pode ser um lugar assim, deveria conhecer o templo e a comunidade de moradores que vive em torno dele. Há muito trabalho. As pessoas precisam cuidar de milhares de detalhes, além de dar conta de complexas práticas e manifestações artísticas. Por incrível que pareça para quem vê de fora, as possibilidades de estresse são inúmeras.

Mas um dos maiores segredos da eficiência dos trabalhadores daqui – além da motivação de se ajudarem no treino da mente – é que as pessoas se revezam nas atividades. Mesmo que alguém cuide de uma área específica, cedo ou tarde precisa ajudar em outras que nada têm a ver com sua “zona de conforto”.

Quase todos aqui são ao mesmo tempo alunos e professores de alguma tarefa. Seja tocar instrumentos, gerenciar escritórios, cuidar de objetos e rituais, a idéia é que o conhecimento esteja sempre em circulação. E quando você se acostuma demais a um trabalho, logo aparece uma mudança de cenário.

O treinamento aqui é para não precisar de um chão sólido para viver bem – nem emocional, nem profissional. Enfrentar o que aparecer. Manter um certo equilíbrio e eficiência em qualquer situação. E, principalmente, tentar evitar a negatividade uns em relação aos outros (fofocas, disputas, invejas etc.).

É claro que as mudanças causam resistências. Mas o resultado é que uma equipe de cerca de 60 pessoas cuida de um local que recebe em média 5 mil turistas por mês, além de movimentar de 3 a 5 eventos anuais, que envolvem visitas de professores tibetanos, hospedagens, lojas, refeitórios, produção de CDs, livros e muito mais. E, claro, os moradores também tentam meditar algumas horas por dia.

Enfim, de bucólica, nem a paisagem da Serra Gaúcha – anteontem choveu forte e caiu uma árvore, deixando o centro praticamente no escuro e sem comunicações. Haja jogo de cintura.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

2 comentários para “Como treinar para ser flexível”

  1. luizgusmao disse:

    concordo q um retiro d meditação é importante para quebrar hábitos condicionados e aprender a lidar com situações novas, com a dúvida, sem se perder na angústia. mas a gente pode treinar isso no dia-a-dia tb, não é, eduf? tipo: trocar a posição das pernas qdo nos acostumamos com uma determinada posição. mudar fotos ou pequenos utensílios d lugar d lugar tb serve para chamar atenção e manter-nos constantemente alertas.

  2. Eduf disse:

    No caso do pessoal do KL, eles não estão em retiro. Moram lá. Isso é o cotidiano deles. Abraço.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo